O que você pode não ter entendido do caso Neymar mesmo depois do Bate Bola desta terça-feira

A maior dúvida depois da renúncia de Sandro Rossell à presidência do Barcelona era sobre a diferença dos valores divulgados. Havia 40 milhões de euros de distância entre os 17 milhões de euros recebidos pelo Santos e os 57 milhões de euros anunciados pelo Barcelona. O Barcelona atribuiu essa distância aos 40 milhões de euros pagos à empresa do pai do jogador.

Outra explicação faltava sobre a diferença entre os 57 milhões de euros supostamente pagos pelo Barcelona e os 95 milhões de euros citados pelo jornal madrilenho El Mundo. Mais tarde, o presidente do Barça, Josep Bartomeu, disse haver 9 milhões de euros de amistosos pagos ao Santos e determinou o valor final do negócio em 86 milhões de euros. Então, havia uma distância de 28 milhões de euros entre os 57 alegados pelo Barça e os 86 da transação finalizada.

A renúncia de Rossell provocou a impressão de que estavam jogando tudo nas costas do jogador. Neymar pai negava em junho ter recebido 10 milhões de euros de adiantamento. Como teria então recebido 68 milhões de euros sozinho.

O resumo da confusa explicação de Neymar pai no Bate Bola 2a Edição desta terça-feira é: o pai bateu no peito e assumiu ter recebido tudo sozinho.

Muita gente não percebeu a quantidade de informação que passou pela entrevista. Se houvesse bate boca muita coisa seria perdida. Neymar pai disse ter recebido 10 milhões de euros de adiantamento, que negava antes. Também afirmou ter acertado que receberia 40 milhões de euros se o Barcelona desistisse do negócio. E transformou os 40 milhões de euros em indenização para Neymar por recusar ofertas melhores em maio de 2013, quando decidiu sair do Santos.

Em outras palavras, disse que Sandro Rossell não tem nada com isso e que Neymar recebeu mesmo os 40 milhões de euros que o Barcelona alega ter pagado.

Em seguida foi questionado sobre os outros 28 milhões de euros, que distanciam os 57 alegados pelo Barça dos 86 milhões de euros da operação final. Falei sobre as comissões de 10 milhões pelo negócio, 2,8 milhões de euros por agenciamento... Neymar pai interrompeu e disse: "PVC, você precisa separar o que é negociação do que é salário. Isso é salário! Eles não pagam agentes, por isso dão o dinheiro para o jogador pagá-lo..."

Em síntese, Neymar bateu no peito e disse que não houve rateio, que ninguém no Barcelona levou comissão, que ele recebeu sozinho todo o dinheiro da diferença entre os 17 milhões de euros recebidos pelo Santos e os 86 milhões da operação final. São 40 milhões de indenização e 28 milhões que compõem o salário.

Então Sandro Rossell sai de inocente. Pelo menos Neymar livra sua pele com a declaração.

No twitter, às vezes nos irritamos, porque há quem prefira o bate boca à informação. Verdade que há os que não percebem que a informação está passando na sua frente e que o bate boca atrapalha. 

Verdade também que há questões para os próximos dias. A primeira delas, se o Santos se sentiu lesado por receber somente 17 milhões de euros. A segunda, se o Sonda se sentiu traído, por ter comprado 40% do contrato de Neymar e tê-lo visto sair recebendo apenas 6 milhões de euros. 

A apuração com o programa terminado leva a crer que não haverá base jurídica para as reclamações, porque Neymar pai resguardou-se com contratos de naturezas diferentes. A indenização paga de 40 milhões de euros não é parte da rescisão contratual. É uma indenização paga pelo Barça por Neymar abrir mão de propostas melhores.

Por que o Barcelona pagou é uma questão intrigante.... Remete-nos de novo aos usos e costumes do futebol, comissões, rateios.... "Você não me conhece. Eu jamais faria rateio nenhum", diz o pai de Neymar.

É provável que o Sonda processe Neymar. Vai se sentir lesado por ter comprado 40% e arrecadado pouco. Mas os diferentes contratos feitos entre Barcelona e Santos dão margem a julgar, em primeira análise, que não haverá base jurídica. Neymar recebeu bônus que compõem o salário e indenização por perdas por ter assinado um compromisso três anos antes. Alguém poderia dizer que o jogador não poderia assinar qualquer compromisso três anos antes do fim de seu contrato. Mas nem isso aconteceu. Assinou uma carta de intenções para se juntar ao clube quando seu contrato terminasse.

Se alguém rateou o dinheiro? Neymar jura que não. Juridicamente, ele parece estar resguardado.